sábado, novembro 22, 2008

O país clama por uma renovação: Daviz Simango pode ser uma alternativa


Se havia algo que punha muita gente em ansiedade nessas terceiras eleições autárquicas, era o que poderiam ser os resultados no Município da Beira. Na verdade, moçambicanos de todas as cores políticas estavam esperando pelo End of the History, na fórmula de Francis Fukuyama. E o fim da História chegou. Daviz Simango, o filho do Reverendo Urias Timóteo Mbepo Simango, continuará a governar o município da Beira.
Nem Lourenço Bulha e muito menos Manuel Pereira tem dotes suficientes para vencer Daviz Simango. Este jovem é realmente um animal político.
Isso só nos lembra o “duelo” Mcain & Obama. O Sr. Mcain sempre quis mostrar ao eleitorado dos EUA que Obama era muito jovem e sem experiências para governar. Mas ele esquecia-se de que o povo não precisa de uma experiência que não pode produzir, quanto mais precisa de agentes de renovação, mesmo ainda no ventre da mamãe.

Agora, está claro que o filho de Urias Simango continuará a ser Presidente do Município da Beira, apesar de perseguições que tem sofrido das principais forças políticas moçambicanas. Este jovem é para admirar.

Por fim, é preciso recordar que Daviz Simango tem potencialidades para ser o futuro Presidente da República de Moçambique. Ele pode. Sim ele pode, como tem dito Obama. Para tal, acredito que terá apoio de todos os jovens que estão apostados na renovação. Eu serei um deles. Darei um apoio incondicional. Assim disse o Deputado Máximo Dias: “ Em Moçambique está surgindo um fenómeno novo. O fenómeno Simango”.

Força Simango. Ponha os seus talentos ao bem de todos nós que clamamos por renovação. Moçambique precisa. Já não podemos continuar com velhas ditaduras. A nossa geração clama por mudanças e precisa de si. Na verdade, não existe, na história da humanidade, partidos políticos eternos nem regimes eternos.
Quem nos garante que a FRELIMO ou RENAMO sobreviverão por mais de 50 anos em frente? Só quem ignora a História poderá crer que tal possa excepcionalmente acontecer.